11 maio 2012

In illo tempore

Apreciar os que são dignos de apreço entre tanta mediocridade balôfa, sabe o povo muita vez; os governos quase nunca. As provas seriam de sobejo para encher volumes neste Portugal, onde Camões morreu numa enxerga, mas onde qualquer agiota tem a comenda de Cristo.

João da Câmara, in Revista O Occidente, nº 707, 20.08.1898, p. 186.

Naquele tempo o povo não votava todo. E hoje, qual é a desculpa?

1 comentário:

Luar disse...

Hoje o povo vota e não se revolta!
Beijas

 

is where my documents live!